Como construir um aquário com plantas naturais

Cuidar de um aquário é uma atividade relaxante e, incrivelmente, prazerosa numa sociedade que é, cada vez mais, dominada pelo stress. Ainda para mais quando se tratam de aquários com plantas naturais. Saiba como construir um aquário com plantas naturais e dê uma nova vida à decoração da sua casa.

Créditos Imagem
Licença: 
CC Attribution 2.0

Planeie todos os pormenores

Esta dica é fundamental para que o seu aquário corresponda a tudo aquilo o que mais imagina para ele. Por isso, não seja apressado nas suas escolhas, antes pelo contrário, seja paciente e tenha em mente todas as partes constituintes do aquário.

Pesquise sobre tudo

Além de planear todos os pormenores, também é preciso fazer uma pesquisa extensiva sobre os elementos constituintes de um aquário. É necessário saber os tipos de plantas que melhor vão encaixar no seu aquário, dado que elas definirão os peixes e os crustáceos que lá vão habitar, assim como a quantidade de CO2 ideal para cada espécie. Estas informações podem ser facilmente encontradas em sites e fóruns especializados, assim como em vários livros na área da aquariofilia.

Materiais necessários

Para construir um aquário com plantas naturais, é preciso reunir os materiais seguintes:

  • Aquário
  • Material de fundo
  • Água
  • Iluminação
  • Plantas
  • Fauna
  • Acessórios de limpeza e de ornamentação

Aquário

No mercado atual, encontram-se vários tipos de aquários. É por isso que a escolha do seu deve ser muito bem pensada. Para quem planeia usar lâmpadas tubulares ou mesmo compactas, o ideal é adquirir um aquário de 50 centímetros (embora a coluna de água de 45 centímetros seja a mais indicada).
Para outras profundidades, é necessário usar lâmpadas mais potentes e com raios luminosos mais eficientes. Nestes casos, a limpeza e manutenção do aquário será muito mais difícil, pois os braços não chegam ao fundo e, como tal, deve ter plantas de grandes portes para compensar a profundidade.

Material de fundo

O material de fundo é o que vai fazer as vezes de “solo” do aquário, ou seja, a base onde as plantas com raízes se sustentarão. Este material subdivide-se em duas categorias:

Material rico em nutrientes

O material rico em nutrientes pode ser encontrado em forma de substrato, comummente importado, húmus de minhoca tratado ou então em terras ricas, argila e/ou terras vegetais. Pode ser adquirido em qualquer loja especializada de aquários e a melhor escolha está relacionada com o tipo de plantas a ser usadas.
O material rico em nutrientes ficará no fundo do aquário e não deve ter uma camada muito espessa, pois acabará por dificultar a limpeza do aquário. Com o tempo, esta camada poderá ficar prensada, o que dificulta o crescimento das raízes das plantas.

Material inerte

Este material é colocado logo acima do material rico em nutrientes e ficará em contato direto com a água. É chamado de inerte, uma vez que não tem, praticamente, nenhum nutriente e também não interfere na qualidade da água.
Pode ser usada a areia (fina ou grossa) como material inerte, mas, a opção mais indicada é o uso do cascalho, preferencialmente com granulometria maior que dois milímetros e até um máximo de cinco. O cascalho impede a penetração de detritos, logo, a acumulação de bactérias.

Água

A água, além do aquário, é um elemento fulcral, por isso tenha muita atenção na escolha do tipo de água que vai usar. É preciso estar atento ao pH da água e não necessariamente por causa das plantas, dado que a maioria se adapta a um pH baixo, mas sim pelos peixes. Os peixes são muito sensíveis ao pH, por isso se usar água da torneira (a forma mais usada dos aquariofilistas), é necessário que o nível do cloro esteja neutralizado. Isto ser feito através de condicionantes que neutralizarão o cloro da água.

Iluminação

Antes de plantar as mudas, é preciso dedicar a sua atenção para a iluminação do respetivo aquário. Em primeiro lugar, deve colocar o aquário num local onde não receba demasiada luz externa (natural ou artificial), uma vez que acabará por afetar o ciclo biológico das plantas. Tenha o cuidado de escolher as melhores lâmpadas - de preferência as de cor fluorescente - para que os peixes convivam em harmonia. Por outro lado, também é necessário colocar um temporizador para que as luzes permaneçam ligadas durante o tempo de duração do dia.
Uma maneira de saber se a iluminação está boa ou não passa por observar a forma das plantas. Quando houver luz em falta ou em demasia, as plantas tendem a ficar fracas e espaçadas e com uma aparência amarela e apagada. Também é de realçar que uma iluminação deficiente também contribui para a formação de algas, o que é muito prejudicial para a vida e alimentação dos peixes.

Plantas

Antes de inserir as plantas num aquário, é aconselhável que, em primeiro lugar, coloque a água e a iluminação necessárias. Essa ação vai fazer com que a água estabilize, o que é fundamental para a sobrevivência das plantas. Depois, deverá conhecer a melhor forma de transplantar as plantas para que elas se sintam o mais confortáveis possível e cresçam firmes e fortes.

A importância do CO2

As plantas precisam de CO2 e este pode ser inserido na água de maneira rápida e eficaz. Com uma garrafa preparada com uma grama de fermento para cada 50 litros de água, a água fica com os níveis de CO2 desejados. Outra forma, passa por adquirir difusores de CO2 que expelem continuadamente CO2 para a água de modo a que as plantas cresçam de forma saudável.
Nos aquários com um maior volume de água ou de plantas, é muito difícil controlar o nível de CO2 da água. Dessa forma, é aconselhável que utilize sacos plásticos com calcário perfurado que repõem o carbono da água.

Fauna

A fauna é o conjunto dos vertebrados (crustáceos e peixes) e dos invertebrados (caracóis e outros micro-organismos que ajudam a manter um determinado ecossistema) que compõem o seu aquário.
Tenha em atenção que não se podem colocar várias espécies de peixes juntas, uma vez que há peixes mais agressivos que outros e, na maior parte dos casos, eles não combinam entre si.
Uma grande vantagem é a utilização de espécies de peixes que limpam os respetivos aquários. Eles deixam o cascalho, os vidros e os filtros sem sujidades e removem o excesso de algas.
A fauna é essencial para a boa manutenção do meio ambiente de um aquário, pois os restos dos alimentos, as fezes e outros detritos geram nutrientes para as plantas, assim como as suas folhas mortas.

Acessórios indispensáveis

É importante reunir um conjunto de acessórios indispensáveis para o bom funcionamento de um aquário, como por exemplo:

  • Bombas de ar;
  • Filtros de água;
  • Difusores de CO2;
  • Skimmer
  • Rede

Estes são elementos que auxiliam na boa manutenção de um aquário, mas, de certa forma, podem ser facilmente encontrados em qualquer loja de aquários especializada.

A sua votação: 
0
Sem votos